07 agosto 2013

Amor platônico: Severo Snape


Esse é um Amor platônico muito especial. O meu primeiro amor platônico (no blog e na vida) foi o Mr. Darcy, isso todos sabem. Mas o post de hoje vai para uma pessoa que eu amo tanto quanto o meu Will (Fitzwilliam Darcy) e que foi o segundo amor platônico da minha vida.

Eu tenho que começar dizendo que o meu amor por esse personagem é totalmente verdadeiro e que desde o começo, desde o primeiro livro quando Severo era uma pessoa considerada má por muitos, mesmo depois de tudo o que aconteceu, depois do que aconteceu no MEU Enigma do Príncipe eu SEMPRE o amei, eu o amo e vou continuar amando mais ou menos até... ALWAYS!!!


Severo Snape nasceu em 9 de janeiro de 1960 e morreu em 2 de maio de 1998 (assustadoramente perto do meu aniversário). Desde os 9 anos ele era apaixonado por Lilian Evans e os dois eram bons amigos, foi Snape quem lhe contou que ela era uma bruxa e a introduziu ao mundo mágico. Quando os dois entraram em Hogwarts eles acabaram indo para casas diferentes, ele foi para Sonserina e ela para Grifinoria.


Eles continuam sendo amigos até os 15 anos, Lilian o defendia dos valentões, ou seja, Potter, mas os dois discutiam bastante sobre as amizades de Snape (os futuros Comensais da Morte) e um dia quando ele teve um acesso de fúria a chamou de sangue-ruim, acabando com a amizade dos dois.

J.K. Rowling afirmou que se Snape não tivesse virado Comensal da Morte, Lilian poderia ter amado ele. J.K. também falou que Snape já foi amado por alguém, mas ela nunca revelou por quem. Mas isso não é segredo nenhum porque essa pessoa fui eu, óbvio.

Tiago Potter e seus amigos, Remo, Sirius e Pedro viviam importunando Snape e o apelidaram de ‘Ranhoso’ para insultá-lo. Como a mãe de Snape se chamava Prince antes de se casar ele começou a se intitular de Príncipe Mestiço por seu pai ser um trouxa. O livro de poções cheio de feitiços que Harry achou no Enigma do Príncipe pertencia a ele (Harry achava que era o livro de seu pai, Tiago). Vários daqueles feitiços ele usava para se defender dos Marotos.

Ele era um professor de poções no início da série, mas sempre aspirava o cargo de professor de Defesas contra as artes das trevas. Ele finalmente conseguiu o cargo no 6 livro, O Enigma do Príncipe. No 7 livro, com a morte de Dumbledore ele vira Diretor de Hogwarts.

Apesar do que todos pensavam, e do que Snape demonstrava com suas atitudes, ele sempre protegeu Harry. Ele também deu a todos os potterheads uma das partes mais marcantes do livro quando ele falou para Dumbledore que sempre amaria Lilian. Seu patronum era uma Corsa, o mesmo de Lilian.

E como se não bastasse tudo o que ele fez, desistir de ser Comensal, virar um professor de poções, passar
anos protegendo o Harry (o filho do homem que o maltratava na escola e que roubou a mulher que ele amava), ter que matar o Dumbledore; ele ainda me fez chorar e querer voar no pescoço da J.K. quando seu último pedido antes de morrer foi que Harry olhasse nos olhos dele. A última coisa que ele queria era morrer olhando para os olhos da pessoa que ele mais amou no mundo.

Então sim, eu amei Snape desde o começo, talvez pelos motivos errados, eu não sabia a história toda, mas o meu amor só aumentou quando eu descobri tudo por que ele passou e não há algo que eu odeie mais do que pessoas que chegam e dizem: Eu continuo odiando o Snape, ele é mal.

Imbecis.


Te amo Snape <3

PS.: Snape é interpretado por Alan Richman, o que só me faz ama-lo mais.



Bia Albuquerque

Um comentário:

  1. eu tmb o amo, e daria tudo para saber por quem ele foi amado

    ResponderExcluir